19 de out de 2007

Jantar, à luz de velas

Tristeza posta à mesa do jantar
Acompanhada com sorrisos fingidos
Corroboram as meias verdades ditas
Com sete mentiras escondidas.

A barbárie da guerra civil
Mesclada à diversão da juventude
Serviu hoje mais um cadáver
Deixando o peixe insosso.

A cadeira vazia dá lugar ao fantasma da saudade,
Que não diz que vai chegar depois das dez
Que não pede sequer um copo d’água.

O suco de goiaba remete ao sangue inocente, pisado
E tem gosto de vingança inútil
Nesta ceia, a esperança é uma Quimera.

6 comentários:

Hanne Mendes disse...

Vamos trocar o cardápio?
Eu gosto é de suco de manga!

Beijo

Mésmero disse...

mudo o menu, porém o que queria era mudar essa violência exarcebada das grandes cidades (pequenas também). Fui vítima dela esses dias e só estou aqui porque Deus assim quis.

Adriana disse...

Nooossa, eu amei a sua poesia "E se...", gostei muito do formato, do estilo franco, do desfecho, achei perfeita ! Parabéns por todas mas esta foi a q mais gostei rsrs! Saudações lancinantes, Adriana

visite o meu blog, talvez valha a pena...
www.poetisalancinante.blogger.com.br

Adriana disse...

Sou de SP, Capital, Zona sul
Obrigada por me linkar, mas pode mudar para "poetisa lancinante", porque o poeta nunca tem nome de gente rsrsrs...vou linkar vc "tamém", assim volto aqui sempre ! saudações lancinantes, bjos, Adri

AGNIS AHINSA disse...

Bom, já fiz alguns comentários... O que posso dizer agora é que seu blogger está de parabéns... Você se preocupa com a questão social e isso é muito importante! Cada um pode fazer a sua parte! Então façamos... Grande abraço! Voltarei sempre que puder!

Agnis disse...

Sem contar que os poemas têm qualidade, e é boa! =DDD