3 de jun de 2009

.

Vozes da primavera

Joãozinho engatinha pela copa chacoalhando alguns brinquedos e balbuciando umas quase-palavras. Maria, sua mãe, prepara o almoço e cantarola enquanto apanha a cutela. Põe a mão sobre a tábua de carne e desfere golpe inesitante sobre o pulso. A mão semipendurada pelos nervos. O sangue espirrado na parede, nas faces, em Joãozinho, que começa um choro sem ar. Maria serra os tendões, sua mão treme em cima da tábua durante o processo. Então, atira a mão em Joãozinho gritando: aí está seu almoço!

.

.