18 de mai de 2008

Como faço para transformar em arte o sentimento mútuo que sinto por ti? Não queria manter esta paixão, observar tua boca com desejo é um pecado, que omiti por meses, até mesmo de mim.
Teus olhos negros constroem um profundo abismo onde me precipício.
A ambigüidade de te amar e de te revelar segredos de outras paixões, falsas, me faz pensar o quanto todas elas são irrelevantes.
Teus lábios sempre úmidos dominam a direção de minha visão carnívora.
O que me deixa feliz nesse sorriso? O que me deixa contrito nessa amizade? A tua charmosa vaidade de ser sincera? A tua constante verdade que me desperta?
O fato que meu coração tem de encarar é que me apaixonei por minha melhor amiga.

6 comentários:

Hanne Mendes disse...

Gente, A verossimilhança no poema é tão forte que eu juraria que seu Eu-lírico criou vida própria! rs

Beijo, rapaz.

Renata disse...

eu passo tantas semanas sem passar aqui que até me esqueço de como você escreve tão bem! rs

beijo, Lu ;*
Saudades

Ps: você ainda me deve aquele texto, lembra?

Mésmero disse...

Lembro, lembro!

Vou me esforçar pra escrevê-lo. Mas, sabecomé, né! Nossos dias andam bem ocupados, Rê!

jorge disse...

O poema até parece aquelas advertências nas paredes de banheiro de buteco...
Fotografia de mijo!...
Disso todo homem entende...
Sobre apaixonar-se por uma amiga; foram incontáveis os momentos que sofri por isso...
Tudo de bom para vc,

Abraços,


PS: Dos detalhes, quem parece saber é nossa amiga Hanne.

Hanne Mendes disse...

Como assim?
Você estão me complicando...

Abraços para os dois!

P.S: O jorge ainda deve, ao menos a mim, um autografo.

Sarah Vervloet. disse...

Só posso dizer que é encantador.


Beijo, Luiz.